domingo, 13 de setembro de 2009

Programa de peça

Posted by Picasa
Eis aí o programa da peça In On It. Gostaram? Pois é, não ficou muito bom, mas pelo menos poderei me lembrar dos atores, do diretor e de todos os trabalhadores da cena dramática. Sabe por que tirei essa foto? É porque hoje em dia, eles, os produtores não oferecem ao público os programas de teatro. Acho que todos vocês se lembram, né? A gente pagava por eles, é bom que se diga isso, porque nunca foram dados, pagávamos por eles, entretanto à visa de lembrança do seu cultdrama, havia no programa todas as histórias que a gente gostava de ler: as bios dos atores, do diretor, do cenógrafo, aliás, nessa peça esse crédito não haveria, porque é completamente minimalista: duas cadeiras e um paletó. Continuando, do iluminador, ah, já ia esquecendo, o autor da peça, entre outras menções. Também havia alguma sinopse do texto e todos os agradecimentos, os patrocínios bem-vindos, apoios e tudo mais.
Hoje, você compra o ingresso, sem lugar marcado, porque afinal, esse negóciio de lugar marcado é muito chato, não condiz com os tempos pós-modernos, nada disso. Quem chegar na frente entra e escolhe onde quer sentar, isso se for rápido, porque o de trás pode ser mais esperto e passar à frente e sentar exatamente naquele lugar ali, na boca do proscênio.
Agora, vocês vejam, os cinemas, que sempre foram atrasados com essas gentilezas, hoje nos oferecem lugar marcado, poltronas articuladas, um toco de plástico pra você botar os pés e ainda é mais barato que o teatro.
Me respondam, eu que sempre pago ingresso, não vou de carona de ninguém, por quê não tem mais o raio do programa?
Quanto a peça, é aquele texto de playwriting americano (o Daniel MacIvor é canadense) todo certinho e arrumadinho, bem digestivozinho, que até criança ri, pois bem, tá fazendo sucesso e eu já estou quase esquecendo do que se trata. As atuações dos atores e direção são eficazes e seguem o protocolo de estilo de dramaturgia leve que se faz hoje em dia em Nova York.
Postar um comentário