segunda-feira, 27 de abril de 2009

dos estóicos a Borges - I

O espírito tem espelhos pouco claros,
o espírito não usa linguagens,
porque não está preso
ao tempo que corre e nem se representa,
mas o Espírito é condescendente
e fala aos homens,
depois de brincar com as crianças.
Sim, primeiro os pequeninos
do qual o Reino lhes pertence.

O espírito vem e encarna para conhecer.
Ah, ambiguidades carnais e suas delícias,
os espíritos desejam os corpos!
Os incorporais se juntam aos corporais,
se fazem sentir nas peles,
nos arrepios, nos poros,
por todas as superfícies.

Os estóicos encheram-se de júbilo,
o tempo correndo rasante sobre os pêlos,
sussurando,
com um hálito quente, significados,
gozos e ais...

Os estóicos tinham razão!
Por que manter a predicação(da 3ªpessoa)?
Os incorporais já moram sobre os corpos,
logo, os incoporais incorporaram.

É isso! As árvores verdejam,
os mares enchendo e vazando,
os rochedos contemplando,
os amantes amando,
as crianças brincando,
os espíritos incorporando,
as almas animando
e os sonhos potencializando
mundos desejantes.
Postar um comentário