quinta-feira, 25 de junho de 2015

Stella Open Bar
















A quietude da noite é rompida
pelos roncos dos motores cromados.
Velozes máquinas avançam pela nua estrada
com graves e compassadas explosões.

O cão  foge assustado
das negras Harleys raivosas;
eles invadem o velho Stella Open Bar 
com seus reluzentes coletes de couro.

Um soco atinge uma boca ou duas.
Cadeiras e garrafas voadoras espatifam-se pelo chão.
Ela, no canto, assiste ao show, entediada.
Vira desdenhosamente o rosto para o nada.

A fumaça do seu cigarro se expande
dissolvida na quietude da noite.
De novo, as Harleys aceleradas queimam os pneus.
Lânguida, ela sobe na garupa e parte.


O cão late, o neon  tremula o vermelho
que se apaga na noite já quieta.






Postar um comentário