sexta-feira, 18 de setembro de 2009

exaltação

Posted by Picasa
abro os braços e te agradeço
pela vida que me destes;
aqui, ainda em pé permaneço,
não pela vontade que me resta,
e sim, pela tua seiva que rejuvenesce.

Pouca sombra dou,
não por falta de vocação
e sim, por excesso de perdão.
Tantas podas sofri, mas ainda sou
calada, sem grito e sem reação.

Olham pra mim e dizem: feiosa!
nem ligo, mais vale ser cuidadosa
com eles, os passarinhos,
que me escolhem para ninhos
e assim dou meu carinho.

hoje, te dou louvor
pelo sol, pelas chuvas e pelo calor.
hoje, te dou minhas flores de amanhã
e de todos os dias depois de amanhã,
até a última síntese de elã.
Postar um comentário