terça-feira, 21 de julho de 2009

Naufrágio do maior porta-aviões do mundo






















Hoje, recebi uma mensagem criptografada em 128bits, que não deveria abrir ao público, por ser considerada "top secret", mas o meu dever como homem libertário, me obriga a revelar seu conteúdo. Por uma questão de segurança não irei publicar o nome do porta-aviões e como ele naufragou, usarei da cifra de Viginère para as palavras em itálico. Todos aqueles que são ligados às questões de segurança e defesa sabem o significado do código azulação.


O porta-aviões azulado foi a pique hoje pela manhã, após ser alvejado por uma andorinha de verão que o partiu ao meio, sendo que o reator abriu-se e depejou uma quantidade enorme de sonetos na atmosfera. Os marinheiros livraram-se com vida e ficaram descontaminados do belicismo do gigante.


Tudo ocorreu no Mar de Espanha, no interior de uma doca daquele país poético e macunaímico.


Finalizando, alerto a todos os belicistas e adoradores da prancha de aço de 300m, que parem de acessar esse blog, sob o risco de serem percolatados pela inteligência emocional das agências de turismo. Entenderam, não é?


O naufrágio do azulado vos livrará da maldição de Netuno. Leiam poemas e joguem fora os seus bodoques.


P.S. A imagem anexa está levemente desfocada para disfarçar o portentoso porta-aviões.
Postar um comentário